COTIDIANO

Europa vai conhecer florestas acreanas

Artista Plástica Christina Oiticica chega esta semana ao Acre para criar uma série de obras inspirada pela floresta amazônica

Divulgação
Christina Oiticica se dedica a mostrar a arte e sua interação com a natureza


Nelson Liano Jr.
De Tarbes-França

A artista plástica carioca Christina Oiticica, esposa do escritor Paulo Coelho, chegará no próximo dia 8 em Cruzeiro do Sul (AC). O objetivo da visita ao Juruá será o de criar obras de artes que servirão para uma série de exposições que a artista pretende fazer em diversos países da Europa.

Morando em Tarbes, no sul da França, com seu marido, Paulo Coelho, próximo a um bosque, em Saint Martin, na região das Montanhas do Pirineus, Christina Oiticica tem se dedicado a pintar quadros que são colocados em contato direto com a natureza antes de serem mostrados ao público.

Foi assim que montou a sua mais recente exposição, As Quatro Estações. No processo de criação desta série de pinturas, Christina Oiticica, se retirava para os bosques dos Pirineus para pintar. Depois de pronto, o quadro era enterrado e só retirado na próxima estação. “O objetivo é que haja uma interação entre a criatividade artística e a própria natureza que deixa traços indeléveis em cada trabalho. Assim a terra, o vento, a água se tornam elementos visíveis no resultado final da obra,” diz ela.

O trabalho de Christina Oiticica foi bastante apreciado pelo exigente público europeu. Ela fez exposições no Rio de Janeiro, na França, na Eslovênia, entre outros países, sempre com um resultado surpreendente.

Mas por que a artista resolveu expandir o seu trabalho para a Amazônia?

“Acho que a Amazônia e o lugar do planeta onde a natureza está mais viva. Eu sou brasileira e ainda não conheço a floresta. Vejo grande interesse das pessoas aqui na Europa pela exuberância das nossas matas. Quando terminei As Quatro Estações decidi que faria uma nova série de quadros que teria uma influência e uma inspiração direta do lugar mais puro e misterioso da Terra”, diz ela.

Assim, Christina Oiticica, ficará dez dias no Juruá. Irá procurar recantos na floresta onde possa pintar e depois colocar os quadros em contato direto com a natureza. As obras permanecerão escondidas e dentro de quatro ou cinco meses a artista voltará para o Acre para conferir o resultado.

A escolha do Juruá se deve ao fato de grande parte da floresta ainda estar em estado primitivo e também pela infra-estrutura que o empresário James Cameli colocou a disposição para que a artista possa realizar o seu trabalho.

Christina também destacou o fato de saber que no Acre existe uma política ambientalista que funciona. “Sempre que viajo e falo que sou brasileira as pessoas me perguntam sobre a Amazônia. Infelizmente, às vezes, as referências são de que estão destruindo a floresta. Mas eu sei que no Acre se adotou um modelo de preservação ambiental que eu quero divulgar”, afirma ela.

A artista ainda considera a possibilidade de mostrar o resultado desse trabalho com exposições em Cruzeiro do Sul (AC) e em Rio Branco (AC) quando voltar para recolher as obras. Só depois a exposição seguiria para outros países do mundo. Na ocasião, devera vir acompanhada do escritor, Paulo Coelho, que confessou seu enorme interesse em conhecer de perto o projeto de florestania em curso no Estado do Acre.

Ele disse que só não vem desta vez porque tem dois compromissos inadiáveis, um no Casaquistão, uma antiga república soviética, onde seus livros também se tornarão best sellers e outro em Nova York, nos Estados Unidos, onde fará uma conferência.

Paulo Coelho defende a Amazônia

A pequena Saint Martin, nos Pirineus franceses, se tornou um verdadeiro ponto de peregrinação de jornalistas do mundo inteiro. O motivo é que o escritor brasileiro, Paulo Coelho, escolheu o lugarejo para morar. Nos cinco dias em que permaneci como seu hóspede, o escritor deu entrevistas para jornalistas coreanos, chineses, japoneses, gregos, italianos e norte-americanos. O interesse é sempre saber como vive e qual a mensagem de um escritor que se tornou o maior best seller internacional. Vale destacar, que a sua mais recente obra, Onze Minutos, publicada em 54 idiomas, foi considerada a de maior vendagem no mundo em 2003.

Paulo Coelho, que ainda não conhece a floresta amazônica, afirmou que este ano pretende fazer uma visita. “Eu penso que gostaria de brevemente ir até o Acre me encontrar com o povo da Amazônia. Tenho grande orgulho de ser brasileiro e tenho uma ligação forte com a floresta amazônica que é parte do nosso patrimônio histórico geográfico e cultural. Todas as pessoas da Europa que vão a Amazônia voltam absolutamente encantadas, tocadas com essa beleza e comovidas pela nossa boa gente brasileira. Eu não conheço o Acre, mas minha mulher esta fazendo um trabalho agora no Acre, como fez aqui na França, e eu espero muito breve ir até ai”, diz ele.

O escritor também falou da imagem que ele sente que as pessoas têm da Amazônia durante as suas conferências e entrevistas. “Existem dois tipos de imagem da floresta amazônica. Uma que é muito negativa porque as pessoas aqui na Europa deliram. Elas acham que nós estamos querendo destruir a floresta. O que eu tenho certeza que não é verdade. Acho que as pessoas que estão ai são absolutamente responsáveis. Já aconteceu várias vezes em programas de televisão e de rádio, em entrevistas minhas, eu defender essas postura, porque eu creio que o brasileiro é responsável pelo seu patrimônio. A outra visão é justamente que é um dos lugares mais fascinantes e misteriosos do Planeta que todos gostariam de visitar”.

Paulo Coelho também fez questão de agradecer pela ajuda que o empresário James Cameli ira prestar para a realização dos trabalhos da sua esposa, Christina Oiticica, e ao governador Jorge Viana, de quem disse ter referências muito positivas, e com quem espera se encontrar quando visitar o Acre, ainda este ano, segundo ele.

 

 
© Copyright Página 20 todos os direitos reservados    -      Imprimir       -       TOPO
 COTIDIANO
 COLUNAS
 ENTREVISTA
 ESPECIAL
 ESPORTE
 POLÍTICA
 OPINIÃO
 VIA PÚBLICA
 EDIÇÕES
 EXPEDIENTE
 E-MAIL
 
Rio Branco-AC, 4 de abril de 2004
   GIRO GERAL
Com Moisés Alencastro
   NA TRIBO
Com Roberta Lima
   PORONGA
Com Leonildo Rosas
   ANCELMO GÓIS
Com Ancelmo Góis
 
 
P E S Q U I S A