COLUNAS
   EM DEFESA DO CIDADÃO

O desafio é ser responsável

MPE cria programa de Educação Ambiental para conscientizar servidores a reduzir desperdício e separar o lixo reciclável


Servidores do Ministério Público aderiram ao programa Educação Ambiental


A máxima de Lavoisier - Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma - encontrou terreno fértil no Ministério Público do Estado do Acre (MPE). A Coordenadoria do Meio Ambiente (CDMA) do MPE, criou este mês um Programa Piloto de Educação Ambiental com o tema “Recicle sua mente. Diga não ao desperdício de materiais”. O primeiro passo da campanha foi conscientizar internamente os servidores sobre o que fazer para evitar o desperdício e incentivar a separação do lixo que pode ser reaproveitado e reciclado. Foram instaladas cestas em locais estratégicos para depositar garrafas plásticas e papel. A idéia está dando nova destinação a parte do lixo produzido na instituição.

“Se cada pessoa melhorar sua relação com o meio ambiente, no que diz respeito à preservação da natureza e à maneira de tratar o lixo, as condições de vida das pessoas será bem melhor”, explica Eduardo Duarte da CDMA. Ele diz que a idéia é que o programa possa se transformar em algo maior: “Começamos coletando papéis e garrafas plásticas para reciclagem, mas pensamos em ampliar a coleta para outros produtos e públicos” diz ele.

A Escola de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente - SEMEIA se comprometeu em recolher os papéis e as garrafas plásticas e encaminhar para a reciclagem. As garrafas plásticas serão vendidas para a sucata e os papéis serão encaminhados para a Oficina de Reciclagem de Papel que funciona no Horto Florestal. Na oficina são confeccionados blocos, cadernos, bolsas e vários outros produtos. Francisco Aureliano da Escola de Meio Ambiente diz que as indústrias de reciclagem, principais compradores de matéria prima reciclável, só compram em grandes quantidades, por isso é importante parcerias com instituições como o Ministério Público: “Além das garrafas de água mineral e refrigerante, também recolhemos embalagens de xampu, condicionador creme, catchup e similares”.

Para a CDMA, o programa é importante porque a coleta seletiva ajuda a cuidar do meio ambiente, pois dá novo destino ao que antes era apenas lixo. “Aliar a demanda do MPE a iniciativas que levam cidadania às pessoas e amenizam a degradação ambiental é nosso dever”. O volume de papel utilizado na instituição é muito grande. E agora pode ter destinação adequada.

Na última sexta-feira, 9, integrantes do Projeto Catar estiveram no auditório do Ministério Público para explicar a importância da coleta seletiva do lixo. Maíra e Kenedy, do Projeto Catar e Ursula Mara, Presidente da Associação e da Cooperativa dos Catadores falaram por cerca de uma hora sobre o trabalho que é realizado com o lixo em Rio Branco.

“É preciso que a população seja incentivada a nos ajudar nesse serviço porque com ele, todos ganham. Ganha o meio ambiente, que fica um pouco mais livre de material danoso, ganha a família, que pode ter mais qualidade de vida e ganhamos nós, catadores, porque teremos uma renda para sustentar nossos filhos, promovendo limpeza”, destaca ela. Úrsula Mara afirma que um catador chega a obter de R$ 400 a R$ 600 por mês, com o ofício. Do arrecadado, ele contribui com a associação em 6%. O quilo da lata de alumínio custa R$ 2 nos sucatões da cidade. A garrafa plástica de refrigerante é entregue a R$ 0,25, “embora ela comece a cair em alguns sucatões, que já compram por apenas quinze centavos”. Em média cada catador chega a recolher até 200 quilos de materiais recicláveis por dia.

Quem quiser solicitar a equipe do Projeto Catar para fazer palestras em ruas, condomínios, associações, instituições, é só ligar para 3228.2377

Os números
Em Rio Branco são produzidas 25.157 toneladas de lixo por ano.

12,8% metal
14,5% papel
14,2% plástico
8,7% vidro
49,8% material orgânico

Curiosidades sobre o lixo

• O Brasil urbano produz 90 mil toneladas de lixo por dia, com uma estimativa de 0,5Kg/dia/per capita. •

• Para cada 1% de aumento na renda per capita, está associado com aumento de 0,34% na geração de lixo sólido, enquanto para cada 1% de aumento na população, expande a geração de lixo em 1,04%(BEED e BLOOM, 1995).

• Há um grupo de cientistas pesquisando e procurando desenvolver plástico biodegradável, utilização do lodo de esgoto para agricultura e de bactérias geneticamente modificadas para transformar resíduos que contenham celulose em álcool.

• 80% do lixo doméstico é reciclável A cada tonelada de papel reciclado economiza-se 26000 litros de água, 100 litros de óleo combustível e cerca de 17 eucaliptos.

• A reciclagem de embalagens PET utiliza 30% da energia necessária para a produção de resina virgem e, tendo a vantagem de poder ser reciclado várias vezes sem prejudicar a qualidade do produto final.

• Cerca de 35% das latas de aço consumidas no Brasil são recicladas. Se todas as latas de aço consumidas atualmente fossem recicladas, seria possível evitar a retirada de 900 mil toneladas de minério de ferro por ano, deixaria de ocupar 8,6 milhões de metros cúbicos em aterros sanitários todos os anos, proporcionaria economia de 240 milhões de kWh de energia elétrica - equivalente ao consumo de quatro bilhões de lâmpadas de 60 watts.

• Para reciclar uma tonelada de latas de alumínio gasta-se 5% da energia necessária para produzir a mesma quantidade de alumínio pelo processo primário, além de evitar a extração da bauxita, o mineral beneficiado para a fabricação da alumina, que é transformada em liga de alumínio. Cada tonelada do metal exige cinco de minério.

• As lâmpadas fluorescentes contêm um metal altamente prejudicial ao meio ambiente, o mercúrio. Quando depositado em aterro, este mercúrio é liberado e causa contaminação do lençol de água subterrâneo.

• Tempo de decomposição de alguns resíduos:
• Toco de cigarro - 1 a 2 anos
• Chicletes - 5 anos
• Latas de folhas flandres - 10 anos
• Isopor - 80 anos

 
EXPEDIENTE
Administração Superior do Ministério Público do Estado do Acre: Procurador-Geral de Justiça - Edmar Azevedo Monteiro; Corregedor-Geral do Ministério Público - Ubirajara Braga de Albuquerque; Subprocuradora-Geral de Justiça - Giselle Mubarac Detoni. Página de responsabilidade da Assessoria de Comunicação Social do Ministério Público do Acre. - Jornalista responsável: Socorro Camelo MTb/AC 065. Equipe responsável: Lucimar Gomes, Juliene Silva e Socorro Camelo. - E-mail: comunicacao.mpe@ac.gov.br

 

 
© Copyright Página 20 todos os direitos reservados    -      Imprimir       -       TOPO
Rio Branco-AC, 11 de fevereiro de 2007
   GIRO GERAL
Com Moisés Alencastro
   NA TRIBO
Com Roberta Lima
   PORONGA
Da Redação
 
 
P E S Q U I S A

 COTIDIANO
 COLUNAS
 CHARGE
 EDITORIAL
 ENTREVISTA
 ESPECIAL
 POLÍTICA
 OPINIÃO
 VARIEDADES
 EDIÇÕES
 EXPEDIENTE
 E-MAIL